08 dezembro, 2010


«A strong positive mental attitude will create more miracles than any wonder drug.»

[Patricia Neal]

Noites...

Noites distantes, noites frias, noites infinitas, noites que chamam por mim no tom mais doce da Vida. A luz transparente destas escuras noites corrompe os meus olhos com pensamentos soltos, perdidos e vividos.
Sinto a tua alma perto de mim, sinto a Vida a chamar por mim. Mas tudo me prende às raízes outrora acorrentadas. Quero voar, ficar; quero sentir-te, tocar-te, mas sobretudo quero Viver. A necessidade de Viver e de Voar é mais forte que qualquer desejo retido ou planeado. A lembrança do passado e a incerteza do futuro fazem-me abraçar fortemente este presente que tanto me chama por Tu, que tanto me acarinha e que tanto me invade de coragem, força e amor. Amor pelo que tive, mas sobretudo pelo que tenho.
Quantas coisas se desperdiçam e se perdem pelo medo de dar ou receber; pelo medo de tentar ou lutar, apenas porque o medo domina corpos perdidos, sem horizontes neste mundo tão vasto e tão tristemente corrompido.
Sinto-me Feliz por ter o prazer de conhecer a Vida, por poder tratá-La por Tu e por pertencer ao Mundo de pessoas que tanto me dão e a quem tanto me entrego. Sou Feliz porque estou Viva!

RN

Passado Meu

Fecho os olhos, vejo o meu Passado, respiro fundo e resolvo tratá-lo por Tu.
Tu foste, já não és, mas tanto me ensinaste, tanto me deste e tanto me fizeste acreditar.
Enterrar-te nunca foi um desejo ou uma ideia, mas sim guardar-te para um dia te recordar com carinho. Tornaste-me mais forte; deste-me amor, dor, mas sobretudo experiência: Vida!
Contigo aprendi a Amar, a sofrer, a chorar, a sorrir, dar, receber, querer, lutar, esperar… mas contigo, acima de tudo, Vivi!

RN

01 dezembro, 2010

Viva Apaixonadamente

«É preciso viver apaixonadamente, em qualquer situação, indistintamente.
Seja lá o que for que você faça, empregue toda tua energia e todo teu espírito nesta tarefa. Acredite, se fizeres assim, sentirás prazer até em lavar pratos ou em varrer a calçada, por quê há vida e beleza em tudo, e cada momento é importante, principalmente este que você nem percebe passar e, por favor, largue estes pratos e esta vassoura: há música no ar!Cante, ainda que desafinado, e dance, mesmo sem saber dançar.
Chore todas as lágrimas que tiver e ria até não mais poder. Ame, perdoe, sinta raiva, chute o balde, faça aquilo que você verdadeiramente tem vontade de fazer. Não é convencional? É arriscado? O que as pessoas irão pensar? Afinal, o que você pretende?
Se você pensa que é maravilhosa a rotina de trabalhar, voltar pra casa, assistir tv, dormir e sair com as crianças no final de semana, parabéns. Você é uma pessoa realizada. Mas penso que até fazer sexo, por melhor que seja, acaba ficando apenas razoável em um ritmo destes.E eu quero o melhor do sexo, o melhor do meu trabalho, o melhor da minha família, o melhor da minha vida.
Se você também quer isso, envolva-se de mágica, deixe fluir a energia que existe em você. O universo inteiro está latente dentro de ti e tudo que você precisa fazer é deixar-se explodir. E quantas coisas surgirão, quanto a fazer, quanto a conhecer. Vá, não olhe pra trás. Não pense em nada, apenas confie em você. Você marchará rumo ao infinito e o que você viverá poderá ser bom ou ruim, nunca se sabe, mas sempre será enriquecedor, não duvide disto. E nunca, nunca se deixe vencer pelo medo, siga em frente.
Ninguém conquista um sonho sem perseguí-lo, ninguém anda uma milha sem dar o primeiro passo. Se ao fim da estrada alguma sombra de arrependimento te atacar, ainda assim levante a cabeça, orgulhe-se por ter tentado, por ter buscado, por ter empregado todas as tuas forças até o último instante.Tanto pior e sempre pior é arrepender-se daquilo que você não fez.»

Augusto Branco

30 novembro, 2010

Breath Me

video

Breathe Me
Help, I have done it again
I have been here many times before
Hurt myself again today
And, the worst part is there's no-one else to blame

Be my friend
Hold me, wrap me up
Unfold me
I am small
I'm needy
Warm me up
And breathe me

Ouch I have lost myself again
Lost myself and I am nowhere to be found,
Yeah I think that I might break
I've lost myself again and I feel unsafe

Be my friend
Hold me, wrap me up
Unfold me
I am small
I'm needy
Warm me up
And breathe me

Be my friend
Hold me, wrap me up
Unfold me
I am small
I'm needy
Warm me up
And breathe me

Linda e tão profunda!!

27 novembro, 2010

Que Magia...

Estou tão feliz! Sinto uma felicidade dentro de mim contagiante. Sorrir é mais forte que qualquer outro gesto ou movimento.Sinto-me como uma criança: sentimento tão puro e tão genuíno. E de facto a razão de toda a minha felicidade é tão simples: hoje, pela primeira vez, vi nevar. Melhor, senti a neve cair no meu corpo, na minha cara, nas minhas mãos. Aos olhos de muitos sei que parece tão pouco, mas para mim é tão mágico. É tão lindo, tão fascinante! É delicioso ver as mesmas ruas, as mesmas pedras dos caminhos-de-ferro, as mesmas árvores, que já antes tinham a sua beleza, totalmente brancas. Tudo está coberto por um branco gelado, mas tão suave como algodão.
Sinto-me incapaz de parar de sorrir. No caminho para casa, sozinha no autocarro, olho pela janela e os meus olhos derretem-se com tamanha beleza: que cenário magicamente branco. Toda esta encenação faz-me pensar no quanto sou feliz, no quanto tenho a Agradecer a minha Vida e tudo o que me rodeia. De facto sou uma pessoa Feliz! E que bom sentir-me Feliz!
Tenho problemas já resolvidos e outros por resolver, mas nenhum sem solução. Tudo na vida tem solução, basta encararmos as coisas com olhos e pensamento positivos. Esta magia faz-me pensar nas coisas boas da vida. Esta magia faz-me, mais uma vez, agradecer por estar viva, por todos os dias lutar, por Acreditar, por Sentir. É tão bom sentir-me Eu!
Nada na vida pode ser tão fortemente negativo para me roubar esta felicidade, esta vontade de Viver. Hoje sinto-me capaz de tudo. Gostava de roubar todas as palavras e todos os ruídos, para apenas sentir e ouvir o que a Natureza me oferece. Sem qualquer palavra, Ela consegue fazer-me sentir Viva e Feliz, como se se tratasse de um qualquer truque de magia. Para mim tudo é Mágico, porque simplesmente estou aqui a escrever, a sorrir, a respirar, a Amar… a Viver!

RN

11 novembro, 2010

No silêncio...

Sinto um sopro. Um sopro que me relembra aquela vontade de Sentir, de Querer, de Ser. Contagio-me pelo som da chuva a cair e tudo parece mágico. A magia do que vivi, do que vivo e do que sonho viver. A simplicidade da vida é tão complexa que me perco na busca do meu horizonte.
No silêncio desta noite de inverno, ouvindo a chuva bater na janela, mergulho no escuro do quarto e os meus pensamentos atropelam-se sem nada dizerem em concreto. Os meus olhos ardem pela força de guardar sentimentos retidos, momentos vividos e sonhos perdidos. Pergunto-me que horizonte posso eu procurar se várias são as vezes que me perco na busca do meu Ser?
Busco a felicidade, a liberdade e o amor. Coisas inevitavelmente simples e complexas como a própria vida. Esta ironia consome-me, derruba meus pensamentos e minhas convicções.
Quero e não quero, estou e não estou, vou e não vou. Incertezas tão fúteis e tão profundas marcam o meu Ser com dúvidas incessantes. Dúvidas que me levam a desejar aquilo que um dia tive e a querer aquilo que nunca tive. Que incertezas são estas que consomem os meus actos e apoderam-se de meus pensamentos?
Sinto uma nostalgia do meu tempo de criança, em que momentos tão sofridos são hoje relembrados com um sorriso no rosto. Este momento, este som, esta chuva é semelhante às gotas de água que ouvira no meu quarto cor-de-rosa; a mesma cor dos meus sonhos de infância.

RN

08 novembro, 2010

Pure like a child

video

Tão Lindo!
Este momento fez-me sorrir e pensar como a vida é bela. Fez-me pensar na quantidade de vezes que fico sem dizer aquilo que sinto, porque a vida adulta é, inevitavelmente, complicada demais. Existe o medo, a estética, a ética e o receio de parecer bem ou errado. Inúmeras são as vezes que sinto vontade de dizer «You Are So Beautiful» e, simplesmente, não o faço. Este estúpido receio interior de parecer mal desvia-me do que quero fazer e do que quero dizer.
Quando criança tudo era mais fácil, tudo era mais rápido, efémero, mas vivido. Hoje por mais que se tente fica sempre a faltar uma palavra, um gesto.

RN

06 novembro, 2010

A vida ao contrário

«A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás para a frente. Nós deveríamos morrer primeiro a fim de nos livrarmos logo disso.
Daí viver num asilo, até sermos expulsos de lá para fora por estarmos muito novos. Ganharmos um relógio de ouro e irmos trabalhar. Então, trabalhamos 40 anos até ficarmos novos para poder aproveitar a aposentadoria. Aí curtimos tudo, bebemos bastante álcool, fazemos festas e preparamo-nos para a universidade.
Vamos para uma escola, temos várias namoradas, tornamo-nos crianças, não temos nenhuma responsabilidade, tornamo-nos um bebezinho de colo, voltamos para o útero da mãe, passando os últimos nove meses de vida a flutuar. E termina tudo com um óptimo orgasmo! Não seria perfeito?»

[Charles Chaplin]

A reflectir...

«Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.»

[Mahatma Gandhi]

01 novembro, 2010

O vento.
Aquele vento discreto que vem e vai, passando na vida como se fosse uma brisa. Brisa que finge ser leve, mas que na base da hipocrisia consegue devastar cidades. Cidades com bases firmes, com objectivos delineados. Assumindo a sua postura cínica, age como se fosse uma tempestade, servindo-se de palavras, atitudes e olhares encantadores.
Caminhos longos, caminhos curtos; linhas direitas e linhas tortas. A vida não é a recta que muitos desejam, raras são as coisas que surgem conforme o planeado ou o desejado. A vida tem curvas que nos causam dor, alegria, que nos fazem crescer, aprender e dar valor. Saber dar valor e estimar é uma das qualidades mais difíceis de se atingir. Inúmeras são as vezes que temos o que procuramos, mas a ambição inerente ao sangue humano faz-nos desejar sempre mais. A procura do equilíbrio é a grande caminhada: reconhecer os limites nos objectivos por nós planeados.

RN

23 outubro, 2010

A reflectir...

«Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.»

Clarice Lispector

20 outubro, 2010

Há coisas e coisas

Há coisas perfeitas. Coisas Imperfeitas.
Há coisas que se completam. Coisas que se repelem.
Há coisas naturais. Coisas forçadas.
Há coisas e coisas.



Sinto-me completa. Porém, falta-me ainda preencher um pedaço enorme e vazio, que ocupa parte do meu Ser. A vontade de rir é tão grande como a vontade de chorar. Mas o controlo absorve-me e tudo parece tão natural nesta farsa invejada.
Objectivos alcançados, outros desfeitos e arruinados. As horas passam e o tempo cada vez se torna mais curto. Quero estar presente com a alma ausente. Faz-me falta, mas o grande vazio a ti te cabe. Mundo! Como quero correr, ver, tocar e viver. Como te quero junto a mim.
Palavras ordenadas, outras desordenadas. A anarquia instalou-se e o pânico ameaça. Corações sentidos, corações sofridos. Pára! Pára! Quero paz. Quero sorrir. Quero Amor. Bondade!

RN

16 outubro, 2010

Agua Misteriosa

video

«Solo el tiempo solo el viento solo tuvo solo el color de tu pelo negro cuando me mirabas (bis)
Solo necesito que me digas que lo que siento no es locura que tu lo sientes cuando me miras (bis)

Agua de una fuente misteriosa bebieron mis labios de tu boca
Agua de una fuente misteriosa bebieron mis labios de tu boca y de tu boca...

Solo el tiempo solo el viento solo tuvo solo el color de tu pelo negro cuando me miras (bis)
Solo necesito que me digas que lo q siento no es locura que tu lo sientes cuando me miras (bis)

Agua de una fuente misteriosa bebieron mis labios de tu boca
Agua de una fuente misteriosa bebieron mis labios de tu boca y de tu boca...
Agua de una fuente misteriosa bebieron mis labios de tu boca
Agua de una fuente misteriosa bebieron mis labios de tu boca y de tu boca... y de tu boca...»

Javier Limón feat La Shica


LINDA!!! Viciante!!!

11 outubro, 2010

Jogo da Vida

Tudo me parece um jogo.
Vivo, vejo, sinto. Penso, analiso, critico e resolvo intitular a minha tese como «O Jogo da Vida». Trata-se de um jogo humano, em que tudo é real, e erres ou não, qualquer atitude terá consequências. Consequências essas que podem ser justas ou injustas, boas ou más. Acredito que isto não seja novidade para ninguém. Porém, surge-me uma dúvida para a qual ainda não obtive resposta. Pergunto-me o que se pode fazer quando se vive (inevitavelmente) consequências de atitudes que não são nossas?
Que impertinência! Que desassossego! Que jogo sem sentido, diria.
Gostava de poder mudar o que não está certo, o que não está a ser justo. Mas sinto-me inútil. Sinto tudo a escorregar-me por entre as mãos. São coisas que me ultrapassam, mas que me afectam (e tanto!).
Confuso não é? Confuso demais.
Falo de vidas sofridas, oportunidades trocadas.

RN

24 setembro, 2010

VIDA

Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas
que eu nunca pensei que iriam me decepcionar,
mas também já decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
e amigos que eu nunca mais vi.

Amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
e quebrei a cara muitas vezes!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade
e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi!
E ainda vivo!
Não passo pela vida.
E você também não deveria passar!

Viva!!

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é "muito" para ser insignificante.

Augusto Branco

08 setembro, 2010

A reflectir...

«Quantas coisas perdemos por medo de perder.»
[Brida, Paulo Coelho]

Há que lutar


«É melhor atirar-se à luta em busca de dias melhores, mesmo correndo o risco de perder tudo, do que permanecer estático como os pobres de espírito, que não conhecem a dor da derrota, mas não têm a glória de ressurgir dos escombros. Esses pobres de espírito, ao final da jornada na Terra, não agradecem a Deus por terem vivido, mas desculpam-se ante Ele por terem simplesmente passado pela vida.»

Bob Marley

01 setembro, 2010

O sonho

«Sonhe com aquilo que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes não tem as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor das oportunidades
que aparecem em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passaram por suas vidas.»

Clarice Lispector

A reflectir...

«Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.»
[Clarice Lispector]

31 agosto, 2010

Walking alone


«I'm walking down this road alone and figured all I'm thinking about is you, is you
And my head is in a cloud of rain and the world it seems so far away and I'm just waiting to fall and sink into your tears» [C.C.]

30 agosto, 2010

A corda bamba



Sinto um arrepio.
Sinto um choro dentro de mim que quer devorar o mundo. Devorar ou devastar. Destruir os podres e as maldades que assombram as vidas de quem nada de mal fez. De quem não merece. Pobre de ti! Pobre de nós que sofremos para sobreviver. É injusto! É tão triste!
A revolta, a fraqueza, o sofrimento fazem-te delirar de raiva. Começo também eu a sentir essa raiva. O medo de odiar, de viver este tormento mata-te por dentro. Mata-nos!
Será que terá fim? Quando? E qual será? Tenho medo… tanto medo!
Tantas certezas e incertezas levam-nos à insanidade. Sem saber o que fazer e como agir, enlouqueço. Sofro em silêncio. Choro no escuro da solidão. E vejo. Vejo a grande queda de uma vida tão simples e tão bela.
Tanta raiva! Tanto medo!
Sinto-me inútil.

RN

21 agosto, 2010

Pensamento do dia

«Problemas a gente não precisa de inventar. Eles aparecem todos os dias à nossa porta» [P.M.]

A reflectir...

«A vida é como o sexo: se você deseja um final feliz, não se apresse»
[Hilal, em O Aleph, de P.C.]

É o país que temos...

Parecia tão perto, mas afinal ainda está tão longe.
É frustrante! Querer, lutar e não se alcançar.
Este país tem tudo e não tem nada. Temos sol, praia, mar, verde, serra, neve, chuva. Ingredientes estes que poderiam ser a chave de uma confecção perfeitamente elaborada. Mas a magia perde-se quando se olha para as desigualdades que nos rodeiam. País de aparências que prefere viver na ilusão da lamentável realidade.
Bolsos cheios roubam as linhas que cozem os bolsos vazios. É arrebatadoramente triste! Lamentável diria. É vergonhosa a vida ridiculamente ostentosa que uns levam, assistindo à fome de outros. Agarrando no título do filme «Este país não é para velhos», muito interessante por sinal, atrevo-me a intitular Portugal com «Este país não é para mim».
Defendo o meu país, orgulho-me da minha pátria, sinto o que vivo, mas (in)felizmente vejo, oiço e leio. Orgulho-me da nossa história: país pequeno com grandes heróis e descobertas. Um dia o Mundo foi nosso! Mas infelizmente um dia o poder cegou-nos e fez-nos cair no abismo que ainda hoje nos assombra. Penso no que fomos e penso no que somos. A questão até tem a sua piada, lá isso é verdade! É tão notável o quanto evoluímos como indivíduos, como o que regredimos como nação.
Esta crise é mundial, não há dúvida. Mas porquê tanto alarido em Portugal? Pergunto-me se algum dia, após a ditadura de Salazar, não estivemos em crise?! As barras de ouro desaparecidas de um cofre misteriosamente mal fechado deram a este povo o dom da solidariedade. Sendo assim, e analisando bem os factos, é fácil responder a esta questão: sejamos solidários com o Mundo! Estão todos em crise, então nós também. Que estratégia perfeita: aproveita-se para passar a imagem aos mais ignorantes que a culpa não é nossa, mas que forçosamente entramos nesta grande bolha que é a crise mundial. Assim, ainda se consegue roubar mais uns tostõezinhos ao pobre ignorante que nada tem.
Um dos recentes exemplos de solidariedade deste país não me passou ao lado. A trágica situação da Grécia, que pouco difere da nossa sejamos honestos connosco próprios, comoveu-nos de tal forma, que oferecemos 2 mil milhões de euros em sua ajuda. O curioso é que tal decisão não precisou do consentimento de qualquer um de nós. Incrível! Depois de alguns aplausos, pergunto, ironicamente, se esta irrisória quantia foi suficiente? A mim pareceu-me pouquíssimo, porque não lhes dar tudo o que nos resta? Viva às aparências e à burrice!
Mais curioso ainda é a opinião de economistas portugueses, como é o caso de Filipe Garcia, quando refere que «se a situação grega se complicasse ainda mais, haveria um contágio aos restantes países periféricos da zona euro, como Portugal». Aqui coloca-se uma questão na minha cabeça, será que a Alemanha está assim tão longe da zona periférica para não ser atingida? Sem palavras. Economistas e doutores opinam ainda, que as vantagens resultantes desta ajuda, se tudo correr como previsto (e se assim não acontecer?), serão superiores ao esforço implicado. Vejo aqui outra curiosidade quando se trata da opinião de indivíduos que ganham mais do dobro do salário do cidadão comum.
É hilariante o quão solidários nós somos, que preferimos ver os nossos com fome a ver os outros. Definitivamente, voto na entrega do prémio Nobel de Bom Coração para Portugal. Ou então o da estupidez. Sim, acho que este último nos assentaria que nem uma luva.
A ganância individual, a corrupção e a burrice assombram o sol deste país. Revolta-me ver o pobre a trabalhar e a desesperar por 475€ por mês, que são nada mais que a conta certa para pagar a renda, as despesas da casa e a alimentação, chegando mesmo a faltar dinheiro para dar de comer aos filhos. Viva a salários miseráveis! Viva a impostos e preços altíssimos! Viva! Viva! Como é possível que bens tão essenciais como o pão não se encontrem por menos de 0,75€, ou seja 150 escudos. Por vezes convém fazer-se esta conversão para que a consciência do verdadeiro valor desça aos nossos olhos. 150$00 por um pão, onde o ordenado que entra na maioria das casas portuguesas não chega a 100 contos, ou seja 500€. Ridículo! Ainda se torna mais ridículo quando se está a falar de um país, em que as reformas são acumuláveis com outras reformas, onde indivíduos rotulados de doutores, deputados, ministros, e sabe-se lá mais o quê ganham milhares de euros por mês, roubando tudo o que podem aos que pouco ou nada têm.


Viva à corrupção! Viva à hipocrisia! Viva à desordem e à troca de prioridades! Viva aos submarinos! Viva às aparências! Viva à injustiça social! Viva a Portugal!

RN

As pequenas ditaduras...


Incrível!
Quando se olha em nosso redor e se pensa que tudo vai correr bem e vai ser harmoniosamente vivido, acontece alguma coisa e tudo muda. Ou é o meu pensamento que me relembra dos meus problemas ou surge alguém no papel de ditador a querer mandar e desmandar em tudo e todos. As pessoas não são bonecos! Irra! Mas que sina! Há pessoas que me tiram do sério. O nível de controlo exigido é tão alto que me sinto um balão prestes a explodir. De certeza que já te aconteceu: sentires-te claustrofóbico, ansiando a liberdade, a paz e o sossego.
Tudo se torna ainda mais complicado quando alguém te bombardeia com perguntas e respostas; ordens e conselhos descabidos; palavras e monólogos que parecem não findar. Mas que tormento! O silêncio torna-se a minha escolha. Acabo por desligar do mundo: penetro o que vejo, envolvo-me nos meus pensamentos e finjo dar ouvidos a quem apenas se vê e se ouve a si próprio. O mundo corre, as situações acontecem e as coisas alteram-se.
O ser humano distingue-se dos outros seres por ser racional. Com isto entenda-se (minimamente) inteligente e com inúmeras capacidades. Porém, é aterrador o número de pessoas que vivem no desequilíbrio. Preferem falar, falar e falar. O equilíbrio é bom e nunca é demais. A lógica inerente à célebre frase de Zenão de Cítio, filósofo grego, «a natureza deu-nos duas orelhas e uma só boca para nos advertir de que se impõe mais ouvir do que falar» dispensa quaisquer comentários.
É uma virtude saber explorar todos os nossos sentidos e capacidades. Hoje sinto-me com vontade de trabalhar exclusivamente o pensamento e a fala. Não que me apeteça falar, mas sim gritar, gritar para te calares e ouvires o mundo que suspira (in)cansavelmente por silêncio, respeito e liberdade.

Agradeço que a minha liberdade seja respeitada!
«Só peço para ser livre. As borboletas são livres.» [Charles Dickens]

RN

11 agosto, 2010

Paraíso escondido


Isto é real.
Que lugar magnificamente belo: as árvores, as pedras, a terra, a água. Os diferentes tipos, tamanhos e cores das pedras jogam harmoniosamente com a cor alaranjada da terra, preenchendo a transparência da água. O verde das árvores encobre todo este cenário, graciosamente escondido e salvo das mãos humanas. O cheiro, o som, as cores, o enquadramento... tudo tão perfeitamente desenhado. Que encanto!
À procura do nada, descobri este lugar. Não resisti: parei o carro, saí e toda esta magia me encantou. Que beleza! Como a natureza é fascinante!
Se me dissessem que um lugar destes estaria tão perto de mim, não acreditaria. Calmo, simples, deslumbrante, natural, saudável, perto e longe do Mundo... perfeito para me refugiar, para pensar, para escrever, para fotografar e para partilhar. Partilho-o contigo, presenteando-te com esta foto.
Encontrei um paraíso perdido na civilização.

RN

«O paraíso terreno está onde eu estou.» [Voltaire]

10 agosto, 2010

Sem chão...



Sentimentos fortes e confusos abalam o meu coração e consomem os meus olhos.
Neste lugar onde há tempos estivera, a calma e a beleza inerentes a esta linda paisagem enchem-me novamente de força.
Não consigo parar de pensar, de imaginar e de sentir. A minha vida parece um puzzle. Um puzzle com milhares de pequeníssimas peças de tal forma misturadas que parece não haver ordem possível. Tanta coisa mudou. Que reviravolta inesperada. Sinto-me sem chão. Sinto que perdi os meus alicerces. Onde me devo apoiar? Para onde devo caminhar? Estou perdida num mundo em que as dificuldades e as injustiças insistem em imperar.
Momentos de dor, tristeza e medo têm preenchido os meus dias. Que dor. Dói-me tanto! Sinto que tudo o que conquistei se está a desvanecer. Tudo se resume a Carpe Diem. Como esta expressão faz, hoje, sentido. Inúmeras questões entopem meu pensamento: Que rumo tomar? Que estratégia adoptar? Que fazer? Que pensar? Não sei! Não sei! Não sei! Que frustração! Não tenho outra resposta se não esta. Vejo tudo fora de controlo. Sinto-me incapaz de lutar contra o inevitável.
Lá estou eu a divagar… os meus pensamentos reflectem a desordem que se instalou na minha vida. Sinto-me diferente. Sinto tudo distante. Sinto o mundo tão perto, mas ao mesmo tempo tão longe.
Preciso de férias desta angustiada fase. Sonho com o dia em que acordo e, finalmente, tudo volta a ser como antes. A diferença estaria na forma como iria aproveitar cada pessoa e cada momento. Seria tudo tão vivido, vivido como se fosse o último minuto da minha vida.
Só se aprende quando se erra, quando se vive. Mas a tristeza é tão forte quando a consciência nos lembra que é tarde para voltar atrás. Mais um vez agarro nas palavras de António Feio «Aproveitem a vida e apreciem o momento», nunca deixando nada por dizer e/ou fazer. Que sábias palavras.

RN

«Aproveitem a vida e apreciem cada momento» [A.F.]

video

Sempre o admirei como pessoa e como o grande profissional que foi. A sua sinceridade, a boa disposição, o seu humor, a forma leve de encarar a vida cativavam-me.
Quando descobriu a sua terrível doença, revelou-nos o mais profundo do seu ser. A sua luta foi incessante e contagiante. Digo contagiante no sentido mais literal da palavra. Quando o via e ouvia na TV ou em posts na internet, quando lia as suas palavras em revistas ou jornais, sentia-me dividida. Nos primeiros instantes exaltava-se uma fraqueza, injustiça e até inutilidade. Via-me a mim própria como alguém, inevitavelmente, estúpido que tinha a sorte de ser (ou estar, talvez seja este o verbo mais adequado, uma vez que tudo na vida se resume a momentos) saudável e perder dias a lamuriar por pequenas coisas. Sentia-me, acima de tudo, uma idiota por sentir não aproveitar a Vida/Tempo como deveria. Minutos depois, era como se o meu corpo rejuvenescesse: sentia-me forte, segura de mim e capaz de tudo. Este homem conseguia, sem qualquer dúvida, transmitir o que sentia da forma mais correcta: fazia-me acreditar que tudo vale a pena e que tudo é possível.
Sozinha no meu canto e perdida nos meu pensamentos, resolvi (re)ver alguns dos seus testemunhos, nomeadamente a entrevista em «Alta definição» com Daniel Oliveira (jovem este que também carrega consigo uma grande história de vida). Pergunto-me se será possível alguém ouvir as suas palavras e não reter nada? Será possível alguém ficar indiferente a tamanha vontade de viver? Eu não!
Este homem marcou-me, ensinou-me a ver o outro lado da vida. Para quê complicar? Para quê desperdiçar? Para quê perder tempo? É ridículo esperar-se por avisos ou ameaças para sentir necessidade de aproveitar o tempo. Infelizmente, hoje existem inúmeros testemunhos de quem venceu ou foi vencido por bichos avassaladores, como é o caso do cancro. Tais testemunhos deveriam ser suficientes para começarmos a viver o presente, o imediatamente, com V maiúsculo.
Chega de futilidades! Chega de recear Viver! Chega de Guerras! Chega de perder tempo! Chega de corrupção! Chega! Chega! Chega!
Eu vou Viver! Vou abraçar o Mundo! Vou Amar sem medo! Vou entregar-me! Vou lutar pelo bem! Vou dizer-te hoje que gosto de ti com o único receio de não poder fazê-lo amanhã! Vou aproveitar cada momento e todos os momentos! Vou ser Feliz, Hoje!

Obrigada António Feio.
Descansa em Paz!

RN

02 agosto, 2010

The Paradox of our Age

«The paradox of our time in history is that we have taller buildings but shorter tempers; wider freeways, but narrower viewpoints. We spend more, but have less; we buy more, but enjoy less. We have bigger houses and smaller families; more conveniences, but less time. We have more degrees but less sense; more knowledge, but less judgment; more experts, yet more problems; more medicine, but less wellness.

We drink too much, smoke too much, spend too recklessly, laugh too little, drive too fast, get too angry, stay up too late, get up too tired, read too little, watch TV too much, and pray too seldom. We have multiplied our possessions, but reduced our values. We talk too much, love too seldom, and hate too often.

We've learned how to make a living, but not a life. We've added years to life not life to years. We've been all the way to the moon and back, but have trouble crossing the street to meet a new neighbor. We conquered outer space but not inner space. We've done larger things, but not better things.

We've cleaned up the air, but polluted the soul. We've conquered the atom, but not our prejudice. We write more, but learn less. We plan more, but accomplish less. We've learned to rush, but not to wait. We build more computers to hold more information, to produce more copies than ever, but we communicate less and less.

These are the times of fast foods and slow digestion; big men and small character; steep profits and shallow relationships. These are the days of two incomes but more divorce; fancier houses but broken homes. These are days of quick trips, disposable diapers, throwaway morality, one night stands, overweight bodies, and pills that do everything from cheer, to quiet, to kill. It is a time when there is much in the showroom window and nothing in the stockroom. A time when technology can bring this letter to you, and a time when you can choose either to share this insight, or to just hit delete.

Remember, spend some time with your loved ones, because they are not going to be around forever.

Remember to say a kind word to someone who looks up to you in awe, because that little person soon will grow up and leave your side.

Remember to give a warm hug to the one next to you, because that is the only treasure you can give with your heart and it doesn't cost a cent.

Remember to say "I love you" to your partner and your loved ones, but most of all mean it. A kiss and an embrace will mend hurt when it comes from deep inside of you.

Remember to hold hands and cherish the moment for someday that person will not be there again.

Give time to love, give time to speak, and give time to share the precious thoughts in your mind.

AND ALWAYS REMEMBER:
Life is not measured by the number of breaths we take, but by the moments that take our breath away.»


Dr. Bob Moorehead

29 julho, 2010

Rest of my Life... with my people

video

If I could spend the rest of my life with my people
I would do it over and over again
Leave it up to them to fill up their steeple
Leave it up to us to fill up on our friends

If I could spend the rest of my life with my people
I would do it over and over again
I live in my mind that I know there's no equal
When I'm falling out, yo they pull me back in

It was long ago
And we were younger so
And our lives we part wrote
Feel it, feeling
Yeah

And I remember everyday
Sometimes it's too much to take
I break down, without heartache
And I mean it, and I mean it

If I could spend the rest of my life with my people
I would do it over and over again
Leave it up to them to fill up their steeple
Leave it up to us to fill up on our friends

If I could spend the rest of my life with my people
I would do it over and over again
I'm within my mind that I know there's no equal
When I'm falling out, yo they pull me back in

They say we've had fun but let this go
Music don't go deep but no
We think we could help this world if only we try
But we grow up
At least that's what they say
We can't do this when we pray
But I tell myself every day that none of that applies

If I could spend the rest of my life with my people
I would do it over and over again
Leave it up to them to fill up their steeple
Leave it up to us to fill up on our friends

If I could spend the rest of my life with my people
I would do it over and over again
I'm within my mind that I know there's no equal
When I'm falling out, yo they pull me back in

All I really need
It's all I have ever seen
Only thing works for me
Is to feel it, feeling
And when we turn to leave
And others turn to be its always on my sleeve
And I mean it, And I mean it

If I could spend the rest of my life with my people
I would do it over and over again
Leave it up to them to fill up their steeple
Leave it up to us to fill up on our friends

If I could spend the rest of my life with my people
I would do it over and over again
I'm within my mind that I know there's no equal
When I'm falling out, yo they pull me back in


SOJA, Rest of my Life


Que letra! Que música!
O 'feeling' natural da vida =)

27 julho, 2010

A ironia da Vida



Noite quente! Noite de Lua Cheia! Que agradável momento neste terraço, onde a brisa do vento passa para me cumprimentar.
Olho o céu escuro, observo a lua... que combinação perfeita: cenário simples e tão belo. De facto, não é preciso muito para me fazer sorrir. Não é preciso muito para ver que a vida vale a pena. Apetece-me gritar «Eu existo!» E como existo...
O silêncio da noite conforta-me e arrepia-me. Que paradoxo interessante!
Os meus pensamentos divagam e o meu coração responde. Como ele bate! Parece alguém a bater a uma porta com urgência de entrar. Neste caso, parece que quer fugir. E talvez o queira: fugir daqui à descoberta de novas experiências, de novos horizontes. Reflexo perfeito do que sinto.
Penso no meu passado e solta-se um tímido sorriso dos meus lábios. Tantos momentos, tantas pessoas, tantas emoções! As alegrias, tristezas, aventuras e desventuras foram constantes. Tanta mudança vivi! Penso nos meus actos e vejo o quanto dei o quanto errei. Ilusões e desilusões fizeram-me aprender e acreditar que, afinal, o mundo perfeito não existe.
Um dia acreditei em finais felizes. Que idiota! Um final assume sempre um ponto final. Onde está a felicidade nisto? Onde está a felicidade de não se poder dar continuidade ao que se acredita e ao que tanto nos dedicamos? A vida é ridiculamente irónica. Dá-se, recebe-se; ama-se, sente-se; mas sabe-se que um dia é hora de se colocar um redondo e pequeno ponto final. A sua força é tão decisiva que o seu tamanho se torna irrelevante. Por mais que se acrescente dois ponto iguais, nada dará continuidade ao que já foi soberanamente terminado. É triste!
Altos e baixos fazem parte da vida. O importante é acreditar, querer, lutar, sonhar, sorrir e Amar. Entrego-me porque sinto! Entrego-me porque acredito!
As emoções fazem parte da minha viagem. As emoções fazem-me viver numa realidade diferente. Um dia sonhei, lutei, dei, recebi, chorei, sorri, Amei... Entreguei-me!
Este dia é hoje.

RN

22 julho, 2010

«Quero Pintar a minha Vida de todas as Cores»

video


A força, a raiva, a vontade, o querer, o desejar, o amor, a ira, as lágrimas, a dor, o sorriso... tantas coisas nos fazem mudar de atitude, de rumo. Os horizontes desafiam-nos, as rotas alteram-se e o destino... será que existe destino?! Que boa questão...
No meu quarto oiço esta música e atenta à letra, escrevo. As paisagens colam-me ao vídeo, a força transmitida nas imagens convence-me e a letra toca-me.
«Quero pintar a minha vida de todas as cores». Como quero isto para mim! Quero diversidade de momentos, de palavras e de sentimentos. Só não quero sofrimento nem angústia. Nada na vida é simples, mas a sua complexidade cansa-me. Fico perplexa quando olho para o presente e vejo como tudo em meu redor se tem complicado.
O Mundo é tão colorido, mas ao mesmo tempo tão sombrio. Preciso reaprender a pintar! As mudanças de côr têm sido tão bruscas e tão inexplicáveis que o cinza tem prevalecido nos meus dias. Mas a minha força na Luz vai ensinar-me a pintar a vida de todas as cores (eu sei!). Vou pintar a minha vida! Vou pintar a tua vida! A nossa vida! O Mundo! As cores vão ser tão belas e vão estar tão perfeitamente combinadas, que parecerão as lindas paisagens que os meus olhos têm fotografado por onde tenho passado.
A ideia de perder, mais uma vez, alguém que faz parte da minha vida é tremendamente assustadora. Consome-me! O medo é tão grande, a dor é tão intensa que me questiono se tudo não será um pesadelo. Apetece-me saltar! Saltar para salvar o (aparentemente) impossível. Quero pintar! Quero a simplicidade da vida que um dia tive! Quero um GPS que me diga para fazer inversão de marcha porque a vida que um dia tive está à minha espera na outra rota.
Vou pintar o meu corpo com todas as cores, vou abraçar-te e vamos sorrir!
E tudo vai ser perfeitamente esculpido!

RN

14 junho, 2010

Num pensamento distante

video

Num pensamento distante apetece-me escrever. O coração bate, bate tão fortemente que parece querer saltar. Oiço esta música e sinto. Sinto com uma intensidade que nunca antes sentira. A vontade de querer sorrir, a vontade de querer abraçar o Mundo, a vontade de ser Feliz, a vontade de Viver. Todos estes sentimentos, todos estes desejos deliciam os meus dias.
Que delícia estar viva! Que delícia ser quem sou! Que delícia ter a melhor família do mundo! Que delícia ter os melhores amigos do mundo!
Um dia estive tão perto do abismo. Que abismo escuro, vazio, sombrio e distante da realidade. Neste mundo o verbo sobreviver não era recebido com a importância que merecia; era apenas ouvido como um eco distante... muito distante. Senti grande tristeza, angustia, ansiedade! A dor era imensamente forte e o sofrimento tão grande que a cada dia que passava parecia que o meu coração, cada vez que batia, batia em vão. Pensamentos maus consumiam o meu ser, mas a minha sede lutava pela esperança retida no meu peito. Esperança esta que inconscientemente permanecia em mim. As recaídas, as lágrimas eram exactamente o símbolo disto mesmo, eram o símbolo desta esperança não querida.
O pensamento é o grande segredo. Pensar positivo ajudou-me a recuperar a vontade de sorrir.
Olhei em meu redor e senti o quanto estava a ser injusta. Injusta comigo própria e injusta com quem estava a meu lado. Os momentos difíceis são nada mais do que desafios que a vida nos coloca para sermos capazes de enfrentar, contornar e aprender. Mais uma vez digo e repito «aprender»! Nada melhor do que pensar positivo e (resolver) encarar as situações complicadas com um sorriso no rosto e aceitá-las como mais uma forma de aprendizagem e crescimento.
Hoje sou melhor que ontem e amanhã serei melhor que hoje, pois todos os dias a vida nos oferece surpresas que nos fazem crescer enquanto indivíduos, enquanto cidadãos, enquanto humanos. Eu sou humana, por isso sinto, penso, actuo e também erro. Erro muito até, mas é exactamente este o caminho que se tem de percorrer para sermos melhores pessoas e conseguirmos dar o devido valor a tudo o que temos.
À minha família, aos meus amigos agradeço tudo o que por mim e de mim têm feito. Hoje estou feliz e sorrio com vontade de vos ver sorrir comigo. Hoje olho para as cores com a enorme vontade de abraçar o mundo, este mundo ligado a uma natureza extraordinariamente bela e paisagens inexplicavelmente inspiradoras.

Penso, por isso sorrio, logo Vivo!

RN

12 junho, 2010

Pensamento do dia

Be Proud of What You Are!

RN

Vencemos!


A vida é decididamente uma caixinha de surpresas. Oh se é! Sejam elas boas ou más, elas acontecem mesmo sem nós suspeitarmos, nem que seja para nos fazer alterar os planos ou apenas para nos fazer perder tempo.
Esta foi das semanas mais importantes da minha vida e para a minha vida. Aprendi tanto, senti tanto! Sem dúvida que mudei a minha forma de estar, de pensar, de sentir, de acreditar. Hoje dou um valor único à família. Não que antes não o desse, mas hoje tudo é muito mais forte, mais nítido, mais valioso.
Como eu Amo o meu pai, a minha mãe, o meu irmão, o meu sobrinho e a minha querida e linda irmã. Há coisas que se vivem que são impossíveis de se explicar, há coisas que se ultrapassam que simplesmente são impossíveis de se descrever. Mas a força, a fé e a união são a grande arma de luta. Vencemos! E vamos continuar a vencer!
As saudades de ouvir a sua voz, de olhar nos seus olhos e ver/sentir a pessoa linda que é. Que saudades do seu sorriso, do seu toque, da sua atenção, do seu abraço, do seu amor. O dia mais feliz da minha vida foi exactamente quando tive tudo isto de volta. Que força! Que coragem! Que união! Unidos no amor conseguimos vencer o pior dos pesadelos. Hoje estás connosco e hoje estamos juntos e mais unidos que nunca.
Agradeço a Deus e a toda a minha família por hoje ser quem sou, por ter o que tenho e por fazerem parte de mim. Não há nada pior que o sentimento de perda e de incapacidade, mas hoje posso dizer que tudo é realmente possível: nada está perdido enquanto houver esperança, amor e vontade de vencer.
No maior dos sofrimentos, aprendi que, de facto, existem pessoas tão infelizes que não suportam ver a felicidade dos outros. Contudo, o que importa é que a felicidade, unida por um Amor inexplicável, é a heroína da Vida. À infelicidade só lhe resta a rendição, porque nada pode vencer o sentimento mais puro e mais verdadeiro que é o Amor de Família. Dramático? Não! Simplesmente verdade.

Amo-vos minha Família perfeita!

RN

27 abril, 2010

Pensamento do dia

Our biggest challenge is never make mistake!

RN

«Saudade é solidão acompanhada. É quando o Amor ainda não foi embora, mas o Amado já...
Saudade é Amar um passado que ainda não passou, é recusar um presente que nos magoa, é não ver o futuro que nos convida...
Saudade é sentir que existe o que não existe mais...
Só uma pessoa no mundo deseja sentir uma saudade: aquela que nunca Amou!
E esse é o maior dos sofrimentos: não ter por que sentir saudades, passar pela Vida e não Viver.
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido...» [A.D.]

RN

20 abril, 2010

[519]

video

Espero...

Que triste sina!
O sentimento de perda e arrependimento matam qualquer pessoa. Sonho com o dia em que é criada uma máquina do tempo, que nos deixa voltar atrás nos actos e nas palavras sem magoar ninguém. Sonho que esse dia é amanhã. Sonho com o teu abraço, com o teu beijo, com o teu toque. Acordo e vejo que estou de volta a este triste pesadelo.
A vontade de te ter, de me perdoares, é tão forte que me faz acreditar e ter esperança. Não o devo? Tu dizes-me que não, mas o meu coração mata-me com tanto sentimento que tenho para te dar. Tanto Amor, tanto desejo, tanta entrega. É tudo o que tenho dentro de mim, e chega! E mata-me por não te ter!
Não sei como te esquecer, como te tirar do meu coração e do meu pensamento. Este é tão forte que levo os minutos, os segundos a pensar em ti, em nós!
As pessoas mudam e todas merecem oportunidades. Eu dei-tas e quero-a! Eu sonho com a minha oportunidade. Acredito no Amor: tu fizeste-me Acreditar! Não me peças para desistir! Não me mates!
Escrevo porque me alivia, espero-te porque te Amo!

RN

17 abril, 2010

Saudade...

Se conseguisses entender o meu olhar, minhas palavras, tudo seria tão belo e perfeito.
Amor... que sentimento tão cruel! Não sei se te lembras, mas...
Uma vez disseste-me: «Eu e tu por mais diferentes que pareçamos, somos um e nos Amamos»
Duvidei? Nunca! Sempre Acreditei em Ti, em Nós! Mas...
Acreditar não basta! Verbo tão optimista, que me presenteou com a mais negra nuvem.
Dizer Amo-te não chega! Esquecer-te... o mais sensato, mas também o mais difícil e doloroso.
E agora o que faço a este sentimento? Talvez seja melhor Odiar-te!

RN

More than words...

video

14 abril, 2010

No vazio mais profundo

Sonho com a ideia de te abraçar, de te beijar. Que vazio forte e profundo. Ainda sinto o cheiro da tua pele, o cheiro do teu perfume. Oiço a tua voz a sussurrar que me Amas, a tua respiração calma e ofegante. Sinto os teus olhos na minha direcção, vejo a tua boca a sorrir para mim. Que sorriso lindo. Que ilusão. Tudo agora não passa de uma ilusão. Não és meu, não sou tua. Já não te posso abraçar, nem ouvir, nem beijar. Sofro em silêncio, Amo-te em silêncio, neste enorme vazio.

RN

13 abril, 2010

Teoria dos Coelhinhos da Páscoa


Mas que belo dia de Páscoa: céu limpo, sol e uma leve brisa.
Tomando um saboroso café e uma aguinha sem gás, sentada num simpático bar na praia de Alvor, olho para o meu redor e vejo a mais bela paisagem do mundo: rochas, areia, mar e céu. Que mais preciso? Por momentos, esqueço-me de tudo o resto.
Neste cenário, dou por mim a pensar em coisas pouco lógicas. A Páscoa é datada pela ressurreição de Jesus Cristo, ou seja trata-se de uma festa religiosa. Então é aqui que me pergunto onde é que se encaixa o "coelhinho da Páscoa"? Pode-se pensar no coelhinho como uma referência à fauna, mas depois questiono-me se a flora também não mereceria ser representada. Talvez se deva considerar as flores de fundo que compõem (em regra) as imagens dos coelhinhos.
Por mais que tente, para mim tudo isto continua a não fazer sentido. Dando seguimento a estes factos, surge-me outra dúvida: os ovos! Todos sabemos que os coelhos não são animais ovíparos. Isto é realmente muito curioso.
Por muito estranho que pareça, partilhei estas minhas dúvidas com o meu irmão de 17 anos, ao que ele, muito serenamente, me respondeu «Faz parte da magia, Não estragues». Que resposta tão simples, prática e (quase) eficaz.
Talvez seja ainda mais estranho, mas vou procurar responder às minhas dúvidas: vou pesquisar, analisar as diversas teorias (partindo do princípio que uma questão destas tenha vários estudos), criticar e formar a minha opinião. Prometo partilhar a minha teoria assim que a tenha formulado.
O dia está a chegar ao fim e a noite prepara-se para nos cumprimentar, trazendo consigo um frio pouco simpático. Vou para casa, mas deixo-vos com a mística teoria dos coelhinhos da Páscoa: tão fofinhos e tão docinhos.

RN

29 março, 2010

Raparigas...

«Quando uma rapariga é calma... milhões de coisas invadem os seus pensamentos!
Quando uma rapariga não discute... ela pensa profundamente!
Quando uma rapariga olha para ti com os olhos cheios de perguntas... ela questiona-se quanto tempo tempo continuarás ao lado dela!
Quando uma rapariga responde "tudo bem" depois de alguns segundos... ela não está nada bem!
Quando uma rapariga fixa-te o olhar... ela pergunta-se a ela mesma porque estás a mentir!
Quando uma rapariga fica no teu peito... ela deseja ser tua para sempre!
Quando uma rapariga pode ver-te todos os dias... ela quer ser acarinhada (ou mimada)!
Quando uma rapariga diz "tenho saudades tuas"... mais ninguém no mundo pode fazer-lhe tanta falta!
Quando uma rapariga diz "Amo-te"... Ela quer dizer exactamente isso!» [A.D.]

(É lamechas, mas não deixa de ser verdade)

RN
Como seria se pudéssemos voar? A sensação de liberdade deve ser incomparável. Como gostava de poder voar!

RN

Que bom Pensar...


Sentada no melhor paraíso do mundo, à beira mar, penso e reflicto sobre a minha vida: o que era e o que é hoje.
Olho à minha volta e vejo diferentes cenários: à minha frente um homem (dos seus 70 anos) anda, sozinho, sobre o molhe; ao meu lado esquerdo, um casal felicíssimo procura as melhores fotografias; outros desfrutam do belo dia de sol que está hoje. Tantas pessoas no mesmo sítio e nenhuma a fazer ou a pensar o mesmo. Interessante...
Mas que honra poder pensar. Que riqueza! Que capacidade vantajosa. O pensamento permite-nos tanta coisa. Será o pensamento a chave de muitos segredos? Quando penso consigo criar, alcançar, imaginar, reflectir, chorar, rir, controlar... Consigo controlar, que bom! Significa que consigo controlar emoções.
Nestes últimos tempos tenho optado por uma estratégia (ou não): estando na situação, penso no que verdadeiramente está a acontecer, penso no que me apetece fazer no momento e depois penso nas possíveis e prováveis consequências. Então volto a pensar que mais vale calar, esperar (talvez até dormir sobre o assunto) e só depois agir. Na verdade não sei se resulta. Às vezes sim, outras não. De certa forma, sinto que não estou a ser eu própria. E talvez seja o melhor, é preciso mudar. Mas será que se deve mudar tanto, mesmo sem estarmos 100% de acordo? Dormir sobre o assunto acalma-me: de facto no dia a seguir já não vejo a situação com os mesmos olhos, ou com a mesma importância. Mas realmente tudo continua por se resolver, pelo menos para mim.
É muito difícil fingir que está tudo bem, simplesmente não consigo!
A ansiedade de não saber o que fazer ou como agir consome-me por dentro. É triste quando o que para mim é óbvio para a outra pessoa não é (ou vice-versa). Que sentimentos tão fortes e tão complexos. Que ansiedade! Que angústia! O que a cabeça aconselha, o coração desaconselha. E qual é que está certo? Nem este imenso mar tem resposta para mim. A sua beleza é realmente sublime. Ás vezes gostava de ser um peixinho daqueles coloridos, pequeninos que servisse apenas para completar este belo cenário. Será que os peixinhos também pensam? Acredito que sim, mas de certeza que não são tão complicados como nós, humanos. O ser humano tem uma capacidade inata de tentar simplificar, complicando.
Neste momento oiço as ondas do mar, juntamente com esta brisa e tudo parece fácil e simples. Que paz! Mas quando penso (lá está, o nosso pensamento não pára), sei que quando sair daqui tudo vai ser igual e vou sentir a mesma angústia que sentia ontem quando adormeci e quando acordei esta manhã.
Vou ficar por aqui, a pensar, na tentativa de encontrar forma de controlar a minha vida. Infelizmente não dá para a contornarmos.

RN 27/03/2010

17 março, 2010

O extraordinário mundo da Fotografia




E aqui estão alguns dos resultados do meu fim-de-semana. Não são nada de extraordinário, mas são o exemplo da muita coisa que aprendi em apenas 2 dias. Agora quero aprender mais e mais e praticar muito. Que mundo extraordinariamente interessante e apaixonante!

RN

13 março, 2010

Decisões certas ou erradas...

... o pior é não decidir!

Nada mais correcto que esta simples frase. Quantas vezes nos vemos em situações complicadas, em que o mais fácil seria fugir? Muitas. Mas não vale a pena: o problema é um bichinho que sabe perfeitamente onde o ser humano se encontra, persegue-o e, mais cedo ou mais tarde, vence ou é vencido. Faz sentido?? Nada faz sentido, nós é que temos de lhe dar sentido... à vida!

Uma questão tem atormentado os meus últimos meses: o que ando eu a fazer? Não sei. Sinto-me triste de não conseguir dar outra resposta, logo eu, a pessoa mais forte e determinada que outrora conhecera. Mas a vida dá voltas e voltas, e apesar de ainda ser (relativamente) novinha, sinto-me cansada. Cansada de gritar e ninguém me ouvir. Mas por que raio alguém deveria ouvir uma louca a gritar coisas que não fazem sentido? Exactamente.... o mundo gira ao ritmo de um silêncio em que o burburinho é o disfarce da realidade.

Quantas vezes estás a falar com alguém e essa pessoa apenas vai respondendo "pois", "exacto"? Ou quantas vezes tu já o fizeste? É natural... é do ser humano. No fim, sentes-te mais leve, mais solto, mesmo que não tenhas conseguido ter a conversa que querias ou precisavas. Será isto a insensatez inerente à raça humana? Começo a acreditar que sim...

Começo a tornar-me também humana. Dou por mim a ter conversas monossilábicas, e o mais engraçado (ou não) é que todos se sentem felizes e contentes. Seremos todos hipócritas? 'Cada um por si' será o lema mais sensato neste mundo em que as decisões não se tomam sozinhas.

Peço desculpa por toda esta confusão e pessimismo, mas o dia hoje foi cheio, complicado e não poderia ter terminado de outra forma. Mas afinal o que seria da vida sem confusão? A vida é um turbilhão de momentos, pensamentos e emoções, onde a compreensão e a paciência se escondem de tudo e de todos, como se se tratassem de um stock limitado, neste mercado instável.

... Dou por mim a pensar e, de facto, a célebre frase do nosso querido Raúl Solnado, «Faça o favor de ser Feliz», é das coisas mais difíceis de se fazer (continuamente). A Felicidade não passa de momentos, mais ou menos curtos, mas, infelizmente nunca longos demais.

Os desafios vão surgindo, os problemas vão aparecendo e cá estamos nós para viver e aprender!

Amanhã vou aproveitar o meu dia, que vai ser bem diferente da (inevitável) rotina quotidiana. =)

RN