18 junho, 2013

14 junho, 2013

Dorme meu Anjo

Tanto tempo num silêncio acalmante, mas tantas vezes perturbador. 
Tantos sonhos pensados e desperdiçados. Vidas envolvidas numa Vida. Aquela vontade de abraçar, beijar, mimar, Amar, que cai num abismo profundo só de ida. E foste. E já cá não estás.
Tamanha a graciosidade, a beleza, a inocência de um anjo, que tanto confortou e do nada partiu. Partiu corações adultos, fortes e destemidos. O sono profundo chegou cedo demais e venceu sem nos dar qualquer hipótese de lutar ou de o persuadir.
A dor de te ver dormindo gelidamente despertou em mim rebeldes pensamentos que me perseguem e me incitam a questionar o verdadeiro sentido da Vida.

RN